Arquivo mensal: agosto 2007

Padrão

Em um dos tópicos da lista de discussão do Global Voices estávamos comentando sobre a dificuldade de se traduzir do inglês para a maioria das línguas pertencentes ao projeto Lingua no que se refere ao gênero. Francês, português, espanhol e outras línguas têm gênero para tudo e como na língua inglesa o gênero não é tão presente assim, as coisas complicam muito.

Um dos exemplos mais simples: The blogger xyz reports on the situation: (Segue a citação).

Na hora que vamos traduzir, sempre vem a pergunta: “O autor está falando de um blogueiro ou de uma blogueira?” Isso não faz a mínima diferença em inglês, mas nas outras línguas sim. Nossa solução intuitiva é ir até o blogue e ver o perfil do blogueiro, ou ler alguns posts para ver de quem se trata. Hoje, por exemplo, entrei neste blogue e não consegui acessar o perfil, mas, já no primeiro post pude ler que ela chegou à Grécia no inverno “That´s why (…) I haven´t met any greek loverboy” e mais na frente que ela tem um fiancé. Nesse caso presumi que era uma blogueira e rezei para que não fosse nenhum homossexual bem resolvido que tenha escolhido não dar nenhuma pista sequer de sua sexualidade.

Infelizmente, nem todos os blogues possuem perfis, alguns, como são de países onde a liberdade de expressão não é comum, usam pseudônimos e não deixam pistas nem de seu gênero. E muitos, os piores, são em árabe, japonês, mandarim, russo, grego, com letrinhas que, para nós, são estranhas e não nos deixam sequer adivinhar baseado em algumas palavrinhas aqui e ali. Nessa, rezemos para que haja uma foto (ou um desenho como foi o caso de um blogue japonês cujo comentário sobre o inseto mordedor-de-traseiros de uns dois posts abaixo eu traduzi)

Pulando nossas discussões sobre como os autores nos ajudariam, alguns comentários sobre o gênero nas línguas foram feitos e eu tive uma pequena surpresa. Eu jurava que o povo alemão podia se gabar de serem os únicos que enxergam o sol como uma entidade feminina, dando-lhe, na língua, o gênero feminino, e à lua o masculino. Mas, Yazan Badan, nosso colaborador nas traduções arábicas nos disse que em árabe também é assim. O Sol é feminino e a Lua, masculino. Com a complexidade adicional que a palavra lua em árabe (Qamar) quando se refere a uma pessoa, é feminino.

Deu para entender? Você fala da Lua lá no seu, você diz o Lua, você usa lua para dar um adjetivo a alguém, é a Lua. No caso, se você diz a uma garota que ela é como a Lua, diz que ela é “bonita além do acreditável”.

Então. Lua. Sou eu! Próxima vez que perguntarem a origem do meu nome vou dizer que é árabe! =D~

Qamar das Selvas

Padrão

Em um dos tópicos da lista de discussão do Global Voices estávamos comentando sobre a dificuldade de se traduzir do inglês para a maioria das línguas pertencentes ao projeto Lingua no que se refere ao gênero. Francês, português, espanhol e outras línguas têm gênero para tudo e como na língua inglesa o gênero não é tão presente assim, as coisas complicam muito.

Um dos exemplos mais simples: The blogger xyz reports on the situation: (Segue a citação).

Na hora que vamos traduzir, sempre vem a pergunta: “O autor está falando de um blogueiro ou de uma blogueira?” Isso não faz a mínima diferença em inglês, mas nas outras línguas sim. Nossa solução intuitiva é ir até o blogue e ver o perfil do blogueiro, ou ler alguns posts para ver de quem se trata. Hoje, por exemplo, entrei neste blogue e não consegui acessar o perfil, mas, já no primeiro post pude ler que ela chegou à Grécia no inverno “That´s why (…) I haven´t met any greek loverboy” e mais na frente que ela tem um fiancé. Nesse caso presumi que era uma blogueira e rezei para que não fosse nenhum homossexual bem resolvido que tenha escolhido não dar nenhuma pista sequer de sua sexualidade.

Infelizmente, nem todos os blogues possuem perfis, alguns, como são de países onde a liberdade de expressão não é comum, usam pseudônimos e não deixam pistas nem de seu gênero. E muitos, os piores, são em árabe, japonês, mandarim, russo, grego, com letrinhas que, para nós, são estranhas e não nos deixam sequer adivinhar baseado em algumas palavrinhas aqui e ali. Nessa, rezemos para que haja uma foto (ou um desenho como foi o caso de um blogue japonês cujo comentário sobre o inseto mordedor-de-traseiros de uns dois posts abaixo eu traduzi)

Pulando nossas discussões sobre como os autores nos ajudariam, alguns comentários sobre o gênero nas línguas foram feitos e eu tive uma pequena surpresa. Eu jurava que o povo alemão podia se gabar de serem os únicos que enxergam o sol como uma entidade feminina, dando-lhe, na língua, o gênero feminino, e à lua o masculino. Mas, Yazan Badan, nosso colaborador nas traduções arábes nos disse que em sua língua também é assim. O Sol é feminino e a Lua, masculino. Com a complexidade adicional de que a palavra lua em árabe (Qamar) quando se refere a uma pessoa, é feminino.

Deu para entender? Você fala da Lua lá no céu, você diz o Lua, você usa lua para dar um adjetivo a alguém, é a Lua. E o que é mais poético, se você diz a uma garota que ela é como a Lua, diz que ela é “bonita além do acreditável“.

Então. Lua. Sou eu! Bonita além do crível! Próxima vez que perguntarem a origem do meu nome vou dizer que é árabe! E o Ana quer dizer tubesta e modesta! ;D~

Nós Apoiamos o Creative Commons

Padrão

“Nós” eu e minhas múltiplas personalidades que gastam mais tempo pensando no que vão fazer no futuro quando o processo acabar do que no processo em si.

Eu gosto de ter idéias, gente, organizá-las, deixá-las fofas e bonitas e depois partir para outras. Alguém por favor use meu talento!!

;p~~

Agora, de volta a Creative Commons:

Blog Action Day

Padrão

Tinha eu o sonho de escrever, mas sempre me vi como escritora de romances, ficções, e eteceteras então não tinha pensado em jornalismo. Aí, do meio para o final da minha atribulada formação acadêmica em psicologia, vi que jornalismo não ia ser algo ruim, mas, me convenci de que tinha que acabar a Psicologia primeiro. E não me arrependo.

Agora, fico eu aqui pensando se faço jornalismo ou não e já disse com bastante decisão que vou fazer jornalismo (assim como já disse que vou pro Canadá, vou pra China, vou ser diplomata e etcs).

Hoje, não penso mais em fazer jornalismo. Descobri uma coisa linda chamada jornalismo cidadão que me encantou. Me dá vontade de sair por aí ajudando todos os cyber- dissidentes do mundo, usando uma camiseta escrita Liberdade de Expressão e explicando para todo mundo como depois da internet, não precisamos mais ser comandados pela Globo (que eu nunca mais vi, agora sou comandada pelas séries americanas… ¬¬).

O que me trouxe isso foi meu trabalho na Global Voices OnLine Português, de que já falei aqui, onde traduzo textos em inglês sobre quase que o mundo inteiro para o português. E através do Global Voices e outros sites que apoiam esse assunto, cheguei ao Blog Action Day

Sei que muitos de vocês podem não achar tão primoroso assim, mas meus olhos se encheram de lágrimas. Eu achei a idéia genial: Eleger um dia para que milhares de blogs por todo o mundo fale sobre um único assunto (não importa sua opinião, sem nenhuma doutrinação) e chame a atenção para aquele problema específico.

O Blog Action Day é dia 15 de Outubro, é sobre o meio-ambiente e o Casa está registrado. Quando meu outro blog sair do forno, registro ele também…

Porque eu realmente acredito que os blogs podem mudar o mundo. Só não achava que eu podia, mas, agora, mudei de idéia. 😉

Sweet hearts

Padrão

Vocês podem até achar que eu fui rápida, mas eu sei que não fui não. O décimo quarto fascículo, A Canção da Mais Alta Torre, está sendo escrito, arrumado e desarrumado desde quando escrevi A Fascinante Lama Colorida, no comecinho do ano, quando ainda estudava na UnB e vivia em Brasília (ai meu coração quase explodiu agora).

Assim como A Odisséia, coisas demais para incluir, outras para “desincluir” e muitas escolhas de “tom”. Sou acostumada a fazer fascículos sobre Os Imortais e etc. com piadinhas nonsense e um tom um pouco mais leve. Mas, isso não coube muito na Canção da Mais Alta Torre.

Não há muita leveza no tom de uma torre no centro do furacão …

Coloco esse ao lado da Odisséia como fascículo mais mexido e remexido da história de Penny Lane. Bem, acho que capítulo com namorado é assim mesmo… ;p~

Divirtam-se!! Clique aqui!