Arquivo mensal: julho 2006

Padrão


Restore and rejuvenate
Weak, transient effect: This morning you should have a very strong sense of well-being. Your inner self is functioning harmoniously, and you do not feel emotional turmoil or strife. At the same time you are most contented with the familiar elements of your life. You enjoy being at home with relatives and friends, and you like being surrounded by the objects you are used to. You are not in the mood for adventures, challenges and major changes, nor is it necessary to be so. There will be other times for adventure. Now you should restore and rejuvenate yourself in peace and quiet. Physical comfort is especially important to you at this time, but it doesn’t have to be lavish. Your need is for a comfortable environment that seems supportive. You want to be surrounded by whatever you feel protects you.

Nunca li um horóscopo tão acurado… Essa manhã eu estava dormindo… A manhã inteira! E dormindo bem! =)

Anúncios

Padrão

Sim.. Eu cansei do meu relatório… Não, eu ainda não me livrei dele…

O Glamour Moderno Nasce Aqui

“Sull, você era jovem demais para entender a genialidade dessas cinco mulheres…”
(Luana Selva)

Já o Glamour Clássico… Ainda Vive

Sull: Aí, um dia, eu estava vendo o Miss Homem…

Miss Homem!! Morro de rir até hoje. Miss Homem! A Sull é um gênio! :~~~

E ninguém pediu a paz mundial =D Não que eu tenha visto.

E essa música, héin? Hips don´t lie da Shakira. Só o nome dessa música já é o máximo!

E eu sou muito mais a Miss Japão. Essa Porto Rico é tubrega.

Comparações

Resposta sobre meus planos para o futuro antes do fim do semestre.

“Eu penso em, depois de formar, ou tentar entrar para o Isntituto Rio Branco, fazer carreira no Itamaraty e tal, ou mexer com pesquisa no exterior, fazer alguma coisa aqui que depois me leve a pesquisar lá fora. Eu tinha vontade de estudar ou experiência estética, ou pensamento visual e inteligência, ou arte e inteligência. Também talentos, as questões inatas e as adquiridas. Adoro inteligência.”

Resposta sobre meus planos para o futuro, agora, na minha última semana desse semestre maravilhoso.

“Eu penso em arranjar um italiano aí em Natal, casar e lavar cueca. Depois, estando instalada na europa, entro na moda dos divórcios e dou o golpe do baú em algum mais rico depois de ter falido meu trabalhador médio cocainômaco europeu com plásticas, salão de beleza e roupas. Aí, depois é só ser madame.”

Cansei de ser inteligente, quero ser bonita. Só bonita.

E o Futebol?

Eu acho que eu não admito que deixei de ser corintiana só porque é muito bom o desgosto que meu pai e meu irmão sentem em ter uma corintiana na família. E também porque eu nunca daria esse gosto pro meu padrinho palmeirense. Palmeiras, não, né?!!

E quando eu falo: Pai, me dá uma camiseta oficial do corinthians! As reações dele são ótimas =D

Padrão


E o Timão, héin?

Pois é…

Como assim Tevez está resolvendo problemas pessoais??!!

Não acredito que eu quero que ele volte. Mas, eu quero.

Que bom que eu não acompanho essa p****. Depois me perguntam porque eu ainda estou tão ligada à copa do mundo. Cadê a transmissão da Liga de Volêi? Brasil hexacampeão!

Bosta.

Padrão

A Questão do Limite

Não é segredo pra ninguém que eu me simpatizo com a causa gay. Meu blog diz isso nos pequenos banners que tem no canto superior esquerdo. I embrace diversity. De todos os níveis. Mas, i embrace limits as well. E bom senso.

Não vou bater palmas pra qualquer causa gay por aí.

Como as pessoas que foram ao Mont Sion comigo ontem bem sabem, ontem eu encontrei um blog gay português que tinha como blog amigo um outro blog gay francês. E esse blog gay francês escrito em inglês (internationality folks!) teve uma pequena eleição dos Fifa´s World Cup Hotties.

Tá. Tem muitas coisas a ser discutida sobre essa seleção. Tipo: “o time da Itália foi um achado e uma surpresa.” Ahn? Mas, me enchem o saco desde mil duzentos e bolinha falando que eu só torço pra Azurra porque os jogadores são bonitos e os viados (com todo respeito) me “descobrem” os italianos agora??!!

Beleza. Cristiano Ronaldo como o número um dos números uns também me deixou meio assim, mas, sabe como é, todo mundo reconhece seu igual. Eleger o time italiano como os “que melhor comemoram” eu achei particularmente hilário. Sabe como é, povo caloroso. Thierry Henry na seleção de hotties… Héin???!!!!

Mas, voltando ao limite, o site comemorando seu “achado”, é informado pelos europeus homossexuais mais antenados sobre a campanha da Dolce e Gabanna com jogadores da Azurra, de cueca. E óleo, claro. Homem tem que tirar foto lambuzado. Sempre. Aí me vem um comentário embaixo sobre essa foto. Não lembro direito como era, mas foi algo como “estou cansado dessas campanhas homossexuais da D&G” bla bla bla. O sentido final desse comentário que eu entendi foi: Essas empresas ficam fazendo campanhas com homens quase pelados e lambuzados porque fazer campanhas com “quê” de gay friendly, é bonito.

Eu acho que esse cara não raciocina. Dolce & Gabanna for men. Quem usa cuecas D&G? Quem se preocupa com isso? Metrossexuais, não? E de onde veio a moda metrossexual? Dos homens gays! Se vestem bem e são, como Brian foi tachado em Queer as Folk, umas label queen. Quem é o público alvo rico que não tem família com quem gastar e pode morrer em sei lá quantas centenas de euros em uma cueca?

Gay!

Então, né… Se o público alvo é gay, a gente faz uma campanha meio assim, gay. Se a gente conseguir ainda pôr uns homens meio pelados, mas que são admirados pelos homens heterossexuais (jogador de futebol, homem gosta de futebol, bla bla), melhor!

Agora a bicha se acha usada…

Tá, eu sei, fui venenosíssima….

Limite número dois. Mesmo site. Comentários sobre Piratas do Caribe dois. “em dado momento Keira Knightley (aquela mocinha do filme) está vestida de pirata, muitos acham que ela é um homem e, quando lhe perguntam o que ela está fazendo ali, ela responde “procurando o homem da minha vida”, e Jack Sparrow faz uma careta de desagrado. O que não ficou legal para os gays.”

Hã?

Pirata, século dezenove ou dezoito, achar lindo um marinheiro apaixonado? É capaz que eles fariam careta se fosse um homem atrás de uma mulher, ou uma mulher atrás de um homem. Imagina um homem amando outro?

Mas não, vamos fazer filmes de época com negros livres e ricos na Europa e piratas gay friendly que é pra reeducar o mundo. Cinema nasceu moralizador e parece que o povo quer que morra assim.

Afe!

Padrão

Ovos de Materazzi na Bandeija!!

Eu sei que o assunto está cansativo, mas, eu precisava fazer esse post para me ratificar de todas as minhas opiniões passadas. Cancelem o tetracampeonato da Azurra e prendam Materazzi for life. Acabei de ler sobre a entrevista do Zidane a uma tv francesa em que ele pede desculpas por seu comportamento, mas não se arrepende de nada do que fez, pois as provocações de Marco Materazzi foram graves e pessoais. Ele teria feito alusões desrespeitosas sobre sua mãe e sua irmã. Mãe de Zinedine Zidane pede “ovos de Materazzi numa bandeija”, e apoia seu filho, pois ele defendeu a honra da família e isso é mais importante do que futebol.

Concordo plenamente com Mamma Zizou. Você vê, quando eu era aborresecente eu fazia parte de uma turminha de amigos onde muitos deles eram homens e eles tinham a Entidade Sua Mãe, e, depois, até mesmo a Entidade Sua Irmã e a Entidade Tua Tia (reparem na poesia fonética no nome da última entidade). Era uma universalização do conceito de mãe, irmã e tia para poderem zingar à vontade uns aos outros. Foi uma tática muito boa, mas mesmo assim, me causava um certo desagrado. Vê, mãe, família, é uma coisa sagrada que deve ser respeitada e que vão brincar de entidade com a mãe dos outros.

Eu acho, assim como Zidane, que Materazzi deve ser punido por ter insultado as fêmeas da família Zizou. Como pode? No futebol, um esporte de cavalheiros, onde as pessoas se respeitam e fazem mesuras umas às outras o tempo inteiro, um profissional xingar a mãe do outro? Materazzi mereceu sequer a honra de ter sido desafiado a um duelo.

Os juízes precisam ter essa noção não só para punirem os jogadores como para fazerem justiça à suas próprias famílias.

Você acredita que meu pai tem lembranças felizes de torcer pro Atlético Goianiense (graaaaaaaaaaande atlético, meu avô já foi goleiro!) porque o estádio era tão assim…. grande e moderno, que era possível aos torcedores ficarem xingando a mãe do juíz bem de perto, correrem até o bandeirinha e falarem coisas perniciosas como “vou comer sua mãe hoje de noite, bandeirinha ladrão”?

Não me orgulho de meus parentes por isso. São uns bárbaros, sem noção da etiqueta esportiva. Apoio que os juízes possam metralhar o estádio inteiro. E alguns jogadores, claro.

Uma atitude totalmente incomum no esporte do futebol deve ser punida com outra atitude incomum, mas justa, para defender a honra de uma família conceituada. Ovos do Materazzi numa bandeija e que Zidane e Dona Zidane possam cabecear e arrancar os ovos de toda torcida italiana, porque fontes me disseram que eles tavam gritando que a mãe do Zidane é uma putana.

Mas, que coisa!!

Retrato Falado

Quê que foi? Quer minha camiseta pra você ter uma lembrança de mim?

Não, não, já tenho as calcinhas que tua mãe e tua irmã largaram lá em casa.

É isso, Zidane morre de vergonha porque suas parentes foram se enrabichar por um carcamano grosso daquele.

Pobre Zidane.

Retrato Falado Dois

Sua mãe é tão gorda, tão gorda, que todas as outras mães giram ao redor dela.

Zidane teria perdido a uma competição de “sua mãe é tão gorda” e, depois de uma resposta hedionda dessas, provavelmente perdeu a cabeça.

P.S:

Sem fotos, que hoje eu estou com preguiça.

Padrão

Aesthetic Bitch

Minha aula de estética e literatura é uma das melhores que já tive. O professor não é nenhum showman, ou a pessoa mais legal do mundo, ele é discreto, inteligente e sabe muito de muita coisa, os alunos não são muito participativos, mas prestam a atenção em tudo, os seminários são análises estéticas de coisas como música brega, futebol, filmes, o assunto diferencial, que é o que meu professor estuda, é cinema e tudo o que se dá lá, ou o que eu leio, é simplesmente, lindo e perfeito.

Também pudera, é a filosofia do Belo.

Mas, o maior diferencial é que meu amado professor, tem, todos os dias, alguma coisa para falar que é exatamente o que eu estou pensando.


Hoje ele falou do mito da paixão nacional. Descendente de alemães e, pelo que parece, já morou na alemanha muito tempo, ele disse que a paixão de alguns países europeus pelo futebol, é talvez, até maior. Porque o que alemão sofre e se empolga com futebol, segundo ele, é muito maior do que se vê aqui. Não que brasileiro não ame o futebol, ama, mas o mito que se faz aqui, de que nós somos O País do Futebol, é exagerado, e é o que dá essa sensação de que nós somos além dos melhores, sempre campeões, pátria de chuteiras.

Normal em um país onde tudo o que sabemos se faz por uma única empresa: Globo.


Onirismos Estéticos e Futebolísticos

Estava desesperada em uma universidade muito velha, daquelas da Europa que provavelmente foram construídas em mil duzentos e bolinha e tem uma coleção de fantasmas parecida com a de Hogwarts. Nunca vi tanta sala e anfiteatro na vida e tanto corredor frio. Eu estava toda empacotada, com um cachecol que ficava prendendo nas minhas botas o tempo inteiro, com um livro i-men-so em branco a tira-colo e uma coleção de canetas mont blanc que me emprestaram.

Eu tinha que chegar a tempo para a palestra do professor Hegel, senão eu nunca formaria na vida. Um monte de gente usava máscaras sabe-se lá porquê. E eu perguntava para todo mundo. “Oi, você sabe onde o professor Hegel vai dar a palestra dele?” Detalhe: todo mundo falava alemão, eu não, ninguém me entendia. Só que uma pessoa vestida como um daqueles torcedores espalhafatosos da copa, torcedor alemão, reconheceu o nome Hegel e me apontou uma sala com uma porta enorme. Eu abro a porta e estou dentro de um campo de futebol.

Isso não é nem um pouquinho estranho pra mim. Sonhos.

O que me causa estranhamento é que o campo está vazio e que existe uma única pessoa mal encarada no meio do campo, olhando com cara séria para os vestiários. Era ninguém mais ninguém menos, que Gennaro Gattuso.

Eu chamo ele, porque isso também é super normal. E ele vai até mim.

“O quê que aconteceu? Não era pra ter jogo?”
“Era sim.”
“Cadê todo mundo?”
“Tá todo mundo no vestiário discutindo.”
“Quê que houve?”
“Fulano (não lembro quem era) está querendo me bater porque eu falei pra ele que quem manda no meio de campo sou eu. E só eu. Que não adiantasse vir com dribles e chapéu e coisas desse tipo pra mim não, que eu não sou qualquer um. Tomo a bola mesmo.”
“Ah! Tá. Já que você quem manda no meio de campo, você sabe onde que é o curso de estética do professor Hegel?”
“É na porta ali atrás do gol, mas já começou, por quê?”
“Não! (desespero) Eu preciso compilar os cursos dele, senão eu nunca mais vou formar na vida.”
“Que besteira, Luana, você tem que fazer uma resenha sobre a introdução de uma compilação que já fizeram. Acorda e vai estudar que o jogo vai recomeçar”

E eu acordei.

Isso é o que dá comer muito depois de andar no sol e chapar na cama por meia hora. E esse negócio de “falei que quem manda no campo sou eu” é culpa da Bianca. Ela que me contou a história do Jorginho, lateral de 94, que comentou que se o Zidane fosse dar um chapéu nele, ele ia logo entrar com as travas da chuteira nele que era pra mostrar quem manda” e depois ficava falando “Olha lá, o Gattuso mostrou pro Zidane quem é que manda! Aí, de novo!”

Porque ninguém faz firula pro Gattuso. Tumalencarado =p

Retificações

Vendo por outro ângulo, vi que o Zidane não foi xingado, deu uma corridinha se virou e deu cabeçada no Materazzi, na verdade, enquanto o Zidane dava uma corridinha, o Materazzi, aparentemente, continuou a xingar. Deve ter falado O xingamento grave naquela hora e o touro francês deu-lhe uma chifrada.

E o gif que eu tinha posto lá embaixo, parece que deu pau, vou colocar de outro endereço, vamos ver se agora vai.

Aí ó Fifa Ultimate Fight

tirado do kibeloco dessa vez.

And Now, for Something Completly Different

Já que eu entrei de vez na febre do youtube (com login e tudo, coisa que estava evitando fazer para não ter minha alma sugada), uma sketch do Monty Python Live at the Hollywood Bowlque o PIB me mostrou um dia. Já que eu comecei mencionando Estética, perceba todas as piadas com exageros renascentistas, chiliques de artistas, preconceitos religiosos e um canguru.

“Is it the Kangaroo? I´ll make it into a disciple”
“I´ll call it The Penultimate Supper!!!”
“The fat one in the middle balances the two skinny ones”
“You want a bloody photografer that´s what you want!”

Padrão


Materazzi vs Zidane

Resolvi refazer o post inteirinho depois de ver filminhos do youtube enquanto deveria estar estudando.

Eu xinguei o Zidane muito na hora do jogo. Deixou a decisão feia. E não adianta vir me dizer que já estava feia e morna e bla bla bla. Feia mesmo. Com violência desnecessária. Aí vocês me dizem que o MAterazzi xingou o Zidane de terrorista, pied noir, de sei lá o quê. Quando eu li essa história do pied noir (se é que é assim que se escreve) que seria algo como preto sujo em francês, a primeira coisa que passou pela minha cabeça foi: “aquela coisa tosca sabe falar francês?” Agora estão dizendo que ele chamou Zidane de terrorista sujo. O que é ainda mais horrível nessas épocas. Ainda mais lá na Europa. O que ele respondeu: “Não. SOu ignorante. Nem sei o que isso significa.”

Estou defendendo o Materazzi? Não. Nunca foi segredo pra ninguém que ele é violento e ignorante. Isso faz do pobre do Zidane uma vítima? Nunca. Materazzi pode até ter merecido aquela cabeçada, mas não dentro de campo. Não justifica alguém fazer uma coisa daquela. O que cega a visão de todo mundo, é que o Materazzi é um tosco ignorante. E o Zidane é um craque amado por todos.

E eu concordo que o Zidane é superior, embora não concorde que a França seja, o que é bem diferente. Por isso mesmo, que eu não consigo deixar de achar horrível e absurdamente feio que alguém como o Zidane, responda a alguém como o Materazzi, que tem a maior característica de sua carreira resumida a esse vídeo que, eu particularmente achei muito engraçado, porque eu acho pessoas toscas engraçadas e que não devem ser levadas a sério:

com isso:

E, cara, ele nem reagiu no segundo seguinte que foi ofendido. Nem foi situação xingou e levou um pé na orelha no calor. Ele correu, fingiu que tava voltando pro lance, parou, e deu uma cabeçada no Materazzi.

Foi uma coisa muito feia para um jogador tão louvável, e embora eu vá lembrar dele sempre como um ótimo jogador, não vou vitimizá-lo por ter sido tão sem noção. Atleta, profissional, experiente, não cede a provocações de um italiano ignorante.

Tanto Materazzi quanto o Zidane foram os homens do jogo. Fizeram os gols e participaram da expulsão. Não foi bonito pra nenhum dos dois, mas pelo menos do Tosco eu esperava qualquer coisa dessas. Do Zizou, não.

E agora vamos a Squadra Azurra. A seleção italiana não é feita de um único jogador, muito menos de Materazzi que era reserva. É feita de uma defesa quase infalível, de um goleiro estupendo, de um meio de campo que funciona (pq segundo meu sonho, quem manda no meio de campo é o Gattuso e só o Gattuso =p, depois eu narro essa coisa louca que acabei de sonhar)e de um ataque que ainda não é tão sensacional e efetivo quanto a defesa, mas que é agressivo e que faz jogadas bonitas sim.

E terminando: O Juca Kfouri Tava com dúvidas de quem tinha expulsado Zidane, já que parece que ninguém da comissão de arbitragem viu. Pelo que eu percebi no video aqui, foi o Buffon. Ele que alertou, ele que foi atrás do bandeirinha que teria visto alguma coisa. O juíz conversou com o assistente, recebeu a confirmação que queria. Pronto.

Vergonha pro Argentino que em nenhum momento estava bem colocado no jogo. Se não tivesse repensado essa, teria sido, como diria o Filipão “vergonha para a américa do sul”

Padrão


Momento Garfield

Trabalho imenso pra fazer, seminário para quinta-feira, fazer intervenção no estágio, insegurança, vontade zero de sair da minha cama, minha diversão acabou ontem.

Odeio segunda-feira

E Agora Uma Mensagem dos Nossos Patrocinadores

Imagens do novo jogo Fifa World Cup Ultimate Fighting, já nas lojas.

Tubão, morri de rir. Thnx Cidus.

Padrão

eu cheguei em casa feliz e satisfeita pela Squadra Azurra ter se livrado da maldição dos penáltis em copas do mundo. Eu vim feliz fazer um post sobre um time que vem de uma tradição de zaga boa, chamada por muitos de retranqueira, mas que mostrou ter construído uma zaga quase perfeita (e isso é ótimo) e um ataque tão bom quanto, segundo melhor ataque da copa.

Só que, enquanto caçava fotos e comentários legais para fazer um post, eu esbarrei em tanta opinião ridícula que me deu desgosto. Mais uma vez mostras do motivo pelo qual eu torço contra o Brasil, não só o time não foi time, como a torcida me irrita. EU li hoje um bando de comentários invejosos e ridículos, de um povo que não consegue entender que não são portadores dos deuses do futebol.

Tirando o escândalo Zidane, que parece ter sido provocado por umas provocações feias do Materazzi , o resto que eu li é ridículo. As pessoas continuam fazendo teorias imbecis sobre uma venda do jogo pra França, comentários invejosos sobre um time que jogou bem e com dificuldades, e até uma insinuação que foi o futebol italiano que fez escola, aqui no Brasil, com corrupção. Como se a corrupção não fosse uma coisa tão entranhanda na cultura brasileira (como é na italiana) que afeta todos os campos.

Torcida brasileira, cuspa esse rei que vocês engoliram. Não sei se foi em 2002, ou se foi em 94 ou se foi mesmo em 98 quando a esquizofrenia baixou em todos vocês. Se vocês acham que tetracampeonato é uma ameaça a supremacia do país, não entendo vocês, se vocês acham que só manipulação de resultados justifica o Brasil ter perdido, prestem mais atenção nos jogos, deixem pra beber depois, quem sabe o juízo de vocês não é mais acurado.

Brasil, país que acha que se Ronaldo não tivesse tido problemas na final de 98 teria ganhado, justifica bem uma opinião do tipo ” se o zidane tivesse ali, não teriam perdido penálti” Não? Trezegue (sei lá como se escreve), teria batido do mesmo jeito. E errado.

Deu nojo, e eu vou voltar pro meu Hegel, que é o melhor que eu faço.

Padrão


Growing up

Cristiano Ronaldo, novinho, “bonitinho”, talentoso e temperamental descobriu nessa primeira copa do mundo que seu temperamento pode muito bem ofuscar todas as outras qualidades que tem. Absurdamente vaiado no jogo contra a França nas semifinais, quis apitar muitos jogos, perdeu um penálti porque ao invés de esperar levar o empurrão se jogou (além de ter dramatizando tanto e mal que Larrionda já pensava oito vezes antes de apitar uma falta nele), conseguiu fazer só um gol contra o irã, apesar de ter sido extremamente egoísta muitas vezes e tentando sozinho quando podia ter dado bons passes, fez birra quando Filipão o substituiu, perdeu a chance de ganhar o prêmio de revelação da Copa devido ao jogo feio que jogou nos últimos dois jogos quando foi violento, dramático, e achou que era assistente de juíz.

Uma dessas manias de querer apitar pelo juíz (que chegou ao auge no jogo contra a França) Cristiano Ronaldo foi logo se meter com Wayne Rooney. Para quem não conhece. Rooney é o queridinho da Inglaterra, que além de ser mal encarado, ter sido frustrado até o limite por uma tática inglesa que o deixava isolado no campo de ataque, ter dado um pisão num português, ser escorpiano, ainda é colega de Cristiano Ronaldo no Manchester.

Para quem não sabe, Manchester fica na Inglaterra. Para quem também não sabe, Cristiano Ronaldo foi correndo pressionar o juíz para expulsar Rooney, para quem também não sabe, mais da metade da Inglaterra culpa Cristiano Ronaldo por essa expulsão.

É, o moleque português tá fudido. E eu não estou exagerando, a polícia inglesa está preocupada. Já ouviu falar em Hooligans? Eles dormem. Mas, dormir não é estar morto =p

Apoio Inusitado

Notícia tirada da uol:

08/07/2006 – 11h33
Fair play da Itália conquista torcida de monges budistas

Das agências internacionais
Em Rumtek (�ndia)

A Itália terá uma torcida um tanto peculiar a seu favor no confronto final com a França, neste domingo, valendo o título da Copa do Mundo. Monges budistas tibetanos vão orar pela vitória da Azzurra na Alemanha.

O principal motivo que levou os monges a simpatizarem com a seleção italiana foi o jogo limpo, ou fair play, mostrado pelos seus atletas ao longo da competição.

“Estou orando pela vitória da Itália, assim como muitos de meus colegas aqui”, disse Tenzing Dorji, um monge de 27 anos do monastério Rumtek, que fica no Himalaia. “O time chegou a final depois de um longo jejum e está jogando de maneira limpa”.

Curioso é que o volante italiano De Rossi foi o protagonista do ato mais violento da Copa do Mundo da Alemanha até aqui, uma cotovelada no rosto do norte-americano McBride que lhe rendeu uma suspensão de quatro jogos.

Karma Gyaltsen, um dos monges veteranos e que administra o monastério, disse que também vai torcer para a Itália, ainda mais porque é o país do budista Roberto Baggio. “Eu gosto dele. E ele é um budista, além do mais”.

Gyaltsen também prevê que a final da Copa romperá um pouco do silêncio e da paz vigente no local, com o entusiasmo dos monges mais jovens. “Tenho certeza que eles quebrarão a quietude daqui com seus gritos no domingo à noite”.

Por fim, Dorji disse que o ânimo com o futebol não terminará com o fim da Copa. “Futebol é o nosso jogo favorito. Às quartas-feiras, nós jogamos durante nosso intervalo para o almoço”, revelou.

Diários de um Escorpiano

tirado do site da uol

Rooney tem até quinta-feira para apresentar explicações

Das agências internacionais
Em Berlim (Alemanha)

O atacante inglês Wayne Rooney tem até quinta-feira para apresentar as explicações pelo pisão que deu no português Ricardo Carvalho durante a partida válida pelas quartas-de-final da Copa do Mundo, que lhe valeu um cartão vermelho, segundo anunciou a Fifa.

_Tudo bem, vou ser sincero, eu dei aquele pisão de raiva pura e simples. Eu sou escorpiano e escorpiano funciona assim: a gente vai se frustrando, se frustrando, se frustrando, aguentando, gritando aqui, fazendo cara feia ali, passando por cima de dois zagueiros ali, mas, num esquema tático em que eu fico isolado e sem chances contra a marcação, só o que me restava era a frustração, então, por isso, o passo seguinte no modo escorpiano de lidar com frustrações é que, uma frustraçãozinha ali, me deixa puto e eu desconto, agressivamente, sem pensar, de forma desnecessariamente violenta, na primeira coisa que aparecer. E além disso, demora um pouco para minha cabeça esfriar e alguém me convencer que eu estava errado… Quê? Cristiano Ronaldo? Ah, eu ainda vou acertar essa conta…

EU não encararia o Rooney

Diálogos

_Já pensou pai, se o Roberto CArlos está mesmo afim de ir jogar no Santos?
_Não, pelo amor de Deus, você está enganada.
_É, mas se eu estiver certa, eu acho que eu prefiro ter meu argentino do que ter o Roberto CArlos no meu time.
_Sei não, héin… Você fala isso porque tem um argentino no seu.
_Dois. Mas, pelo menos meus argentinos jogam. E no caso do Tevez, joga muito.