Arquivo mensal: agosto 2005

Padrão

Ei, Dôtora!

Agora eu sou psicóloga de quase verdade. Porque eu tenho paciente, mas só vou ser psicóloga pseudo de verdade quando formar. Por enquanto eu sou estagiária da Inês, feliz e contente porque consegui marcar triagem com duas pacientes que pareciam bastante interessadas em fazer terapia, com facilidades para vínculo. Agora vamos ver se eu dou conta, né?

O manual do Caep ainda não está em minhas mãos, ou no meu endereço eletrônico, mas, whatever, vamos fazer do jeito que me ensinaram. Tomara que elas continuem comigo e que se sintam melhor ^^

In Heaven There’s no Beer, That’s Why We Drink It Here!!

Encontrei um Pub, de verdade! Com Beamish na torneira e Guinness a granel! Caro, claro, mas existe! Toca música boa, tem cerveja boa e whiskey bom. Fiz tantos planos para minha vida futura quando poderei visitar os pubs do UK e tirar fotos com velhinhos bêbados, fazer um quadro e mostrar pros meus filhos: “Olha, esse dia um cara de sessenta anos ficou rindo da sua mãe porque ela caiu na quadragésima cerveja. ‘Still weak, but very brave!’ Ele disse. Fique orgulhosa da sua mãe.” ou senão, “Filha, é assim que se vive a vida, siga os exemplos da tia Tininha e da mamãe, essas duas mãos tentando subir de volta pra sentar na mesa aí. Eu achava que tinha visto um duende pulando da minha cerveja. Tia Tininha falou que eu estava doida. Óbvio que era uma fada!”

Já pensou beber tanta cerveja verde no dia de São Patrício que começa a ver duendes pulando pela Irlanda?

Caramba, porque eu nasci aqui?!

Padrão

Corra, Lola, Corra!

A falta da Clarisse Cremogema Aló é tanta que hoje eu, a Tininha e a Falls fomos a um hospital para matar a saudades. Na verdade, o motivo era eu e minha insuficiência respiratória. Reparei em um padrão hospitalar: eles adoram deixar os pacientes esperando for no reason at all. Não estava cheio de gente, tecnologia super avançada, organização e eu ainda passo meia hora esperando pra tirar um raio X.

Anyway, por incrível que pareça, hoje foi um dia legal. Consegui fugir do CAEP de novo. Eu quero estar preparadinha pra fazer o devido rapport via telefone com meus pacientes (MT me falou antes que isso era muito importante), não quero cair lá de para-quedas com um monte de fichas na mão. Bem, meu manualzinho tem que chegar até segunda feira, porque eu prometi que iria fazer isso. E eu cumpro as promessas, né? Ou ao menos eu tento muito.

Alguém aqui imaginava que eu iria achar divertido dançar forró? Mas, é!!! As músicas são terríveis, todas falam a respeito de conquistar corações e amar, amar, amar, de um jeito que, eu, não acho romântico. Mas, é engraçado, muito engraçado. E eu e o Cidadão já estamos virando os ases da dança. Depois, é ensinar pra Pepsi e pra Aló tudo o que a gente sabe.

Pena que meu parceiro virou fera. Blergh. ;p

E depois que eu e o parceiro fera jogamos nosso tempo no lixo e rimos muito um da cara do outro, lá fui eu pra saga do hospital, e depois pro Habib´s e depois pra quase rir até o óbito. A Flávia e a Tininha juntas são melhores que o Monty Python.

Mente pra mim, Alma Gêmea, por favor!!! >D

Padrão

Nhá

Agora eu tenho um fotolog ^^

E eu, um dia, vou por uma foto da Marina lá, pra ela ficar emocionada com a sua exposição da figura em fotologs ^^

Ela vai ficar feliz!

O que aconteceu é que, com a quase certeza de que eu ganharia minha amada câmera digital, eu fui me convencendo aos poucos de que eu iria abrir essa porcaria desse fotolog e “fazer parte da turma”. Tinha uns papos sobre a obrigação de se ter um fotolog constar no manual da camera também, mas isso é outra história.

Chegada a imensa frustração da desgraçada da C&A, eu não tenho minha camera AINDA, mas resolvi ter um fotolog mesmo assim. Eu saio roubando fotos dos outros. Peço a câmera da Irina emprestada, tiro fotos conceituais com a web cam tombada do Gustavo. Qualquer coisa assim. Quando eu ponho uma coisa na cabeça, é difícil sair.

O endereço da porcaria agora. Clique no título:

Living is Easy with Eyes Closed

Cof Cof Cof

Meu pulmão me disse um dia desses que a vida dele é muito dura. Ele trabalha 24/7 sem descanso de verdade, no máximo trabalha menos enquanto eu durmo. Se vocês pensarem bem, é mesmo uma vida muito dura.

Mas, eu não posso me dar ao luxo de ter um pulmão descansando de vez em quando. Well, who cares? Ele anda parando mesmo assim. Aí eu tenho que respirar todo o oxigênio de um recinto e acordar o órgão maldito. Trabalha vagabundo!

Isso acontece de vez em quando. Porém, é bastante divertido quando acontece e você tem todas as suas vias respiratórias obstruídas por uma gripe do mal que te acomete faz… uma semana, ou mais? Mais. Acho que fazem duas.

E quando você sai pra dançar em plena quarta feira? E chega sete horas d amanhã e você pensa? Daseinanalyse? Nã!

Meu corpo tá moído. Eu vou ter que virar uma garota mega responsável que não vive, só estuda.

Não, por favor, não! Vou explodir o sindicato dos pulmões.

Padrão

Regret Stage

Eu podia ter feito isso, próxima vez eu faço aquilo, amanhã serei mais assim, semana que vem mais assado, vou passar os próximos meses fazendo regime e ajudando a humanidade.

Não adianta nada, mas eu passei o dia inteiro dormindo e sonhando coisas que poderiam ter acontecido e não aconteceram, em todos os âmbitos da minha vida.

Depois eu acordei, arrumei o quarto, comprei uma caixinha de som com mini subwoofer (gastando o dinheiro que não tinha) pro meu computador e saltitei cantando Franz Ferdinand até a biblioteca onde ri das pessoas que faziam fila para pegar o meu computador enquanto eu sabia que ficaria ali por muuuito tempo.

Projeto Alma Gêmeas em direção à Diplomacia já começou. Decidimos que vamos estudar uma matéria legal e uma matéria chata ao mesmo tempo. Pra iniciar: História do Brasil e Economia.

Depois de sair abarrotada de livros e ouvir uma música literalmente fera, não esse fera que vocês estão acostumados a usar, mas um fera que uns certos mans se entitulam, vim pra casa do Gus ver Lost. E os personagens mais supimpas são: Sawyer, Locke, Freckles e Sayid.

Eu queria amanhã não acordar de saco-cheio. Preciso marcar uma reunião com a diretora do CAEP. E, até quinta, pegar as fichinhas e ligar pros meus queridos pacientes.

Depois inventar um jeito de ganhar dinheiro pra pagar minhas contas, ou meus surtos consumistas.

Padrão

Acabada minha agonia e começado meu processo de purificação…

Here I am again…

Essa vontade de acabar com coisas minhas acontece muitas vezes.

Dessa vez eu cedi.

Ainda estou de saco cheio.